Anúncios

Anúncios

como investir o 13º salário
Fonte: Pexels

Mais do que o especial de Natal da Globo, o 13º salário é sem dúvidas algo muito esperado pelos brasileiros. Seja para custear os presentes dos familiares, a viagem de férias ou aquela roupa descolada, a gratificação natalina vem a calhar.

Anúncios

No entanto, segundo uma pesquisa levantada pela Associação Comercial de SP, reportada pela CACB, aproximadamente 22,5% dos brasileiros não sabem como aplicar a primeira parcela do benefício.

E se ao invés de gastar arbitrariamente o seu 13º salário, você fizesse o seu dinheiro trabalhar para você?

Aliás, você sabia que existem formas diversas de como investir o 13º salário, sem apelar para gastos e mais gastos? Ficou curioso? Então, confira a seguir 3 dicas de investimento para rentabilizar o seu tão aguardado subsídio.

1. Reserva de emergência

Agora, se você é um leitor assíduo aqui do site OMES e já se preveniu com a sua reserva de emergência, talvez o seu perfil de investimento seja outro. No entanto, opções de como investir o 13º salário é que não faltam. Antes, cabe ainda definir os seus objetivos de curto e médio prazo – daqui a 1 a 5 anos, precisamente.

Nesse sentido, melhor do que sair por aí se jogando em compras de produtos que não são tão necessários é investir seu dinheiro. 

Para começar, se você não tem uma reserva de emergência, este é o momento mais que ideal para acumular uma. No entanto, você deve estar se perguntando, o que é uma reserva de emergência?

Dizemos reserva de emergência o dinheiro correspondente a aproximadamente 6 meses de seu custo de vida. Para calculá-la basta levar em consideração os custos previsíveis de seu mês e multiplicá-lo por 6. E depois?

Bem, a ideia é investir o valor acumulado em alguma aplicação de liquidez diária, como por exemplo, o tesouro SELIC ou algum CDB. 

E por que liquidez diária? Simplesmente porque ao se tratar de uma reserva para fins emergenciais, é preciso que você tenha a possibilidade de transformar o título de investimento em dinheiro quando necessário. 

Afinal, situações emergenciais não podem esperar, no entanto, no mundo dos investimentos imprevistos podem e devem ser previstos. Aliás, se quer saber mais sobre reserva de emergência, confira o post que preparamos com 5 dicas para criar a sua reserva de emergência ainda hoje.

2. Títulos de renda fixa

Agora, se você é um leitor assíduo aqui do site OMES e já se preveniu com a sua reserva de emergência, talvez o seu perfil de investimento seja outro. Cabe então definir os seus objetivos de curto e médio prazo – daqui a 1 a 5 anos, precisamente.

Definido o seu objetivo, seja este comprar uma casa, um carro, casar-se, fazer uma viagem etc, o ideal é aplicar ao menos 50% de seu 13º salário em títulos de renda fixa que possuam liquidez no vencimento, sejam estes: CDB, LC, LCI ou LCA. Assim, você garante a segurança prototípica da renda fixa.

Lembre-se, quanto maior for o prazo de vencimento de um título, maior será a sua rentabilidade ao longo do tempo. Afinal, o dinheiro não estará disponível para resgate a qualquer momento. 

Contudo, considerando o período vacilante que estamos vivendo, sobretudo a pré-eleição, prefira títulos de curto a médio prazo. Deste modo, após o resultado eleitoral, tendo maior clareza do cenário econômico, ficará mais fácil de alocar de forma assertiva seus investimentos.

3. Ativos

Além de investimentos que possam te levar a atingir objetivos de curto e médio prazo, é crucial investir parte de seu dinheiro na construção de renda passiva. Ou seja, aquele montante gerado mensalmente pelo dinheiro investido. E como fazer isso? A resposta: comprando ativos.

Em termos simples, ativos são tudo que é capaz de gerar um capital constante, além de ser passível de valorização ao longo do tempo. Ações, fundos imobiliários, ETFs, Stocks e Reits são alguns exemplos de ativos que podem gerar renda passiva.

As ações, por exemplo, dizem respeito a porções de empresas. Assim, quando você investe em ações de dada companhia, compra o direito de receber uma parcela do lucro líquido, ou seja, dos proventos que a empresa gera.

como investir o 13º salário
Fonte: Pexels

Na distribuição consistente dos lucros de uma empresa em que você faz parte do quadro societário, gera-se o fluxo de renda constante para você e demais acionistas.

Sendo assim, uma possibilidade de investimento de seu 13º salário é o uso de 50% do dinheiro para o investimento em ativos. Estes então possibilitarão a construção de sua renda passiva, sendo ótimos investimentos a longo prazo.

Gostou do post? Com essas dicas de como investir o 13º salário, seu dinheiro estará muito bem aplicado e não demorará muito para que você possa colher os frutos. Até a próxima!