Anúncios

como se planejar financeiramente para morar sozinho
Fonte: Freepik

É verdade que um dos maiores sonhos dos filhos é alcançarem a independência financeira para saírem da casa dos pais.

No entanto, todos nós sabemos que com a liberdade surgem também responsabilidades, sobretudo econômicas. E é justamente por isso que a decisão de sair de casa precisa ser uma decisão sólida e planejada. Afinal, decisões irracionais feitas no calor do momento, além de não serem inteligentes, podem trazer sérias consequências.

Então, para te ajudar nesta jornada rumo a sua autonomia, preparamos 4 dicas práticas de como se planejar financeiramente para morar sozinho. Confira!

1. Calcule todos os gastos

Tomou a decisão de sair de casa, bem agora você precisa arcar com as consequências, as quais podem ser resumidas em: boletos.

É, não está fácil para ninguém, mas lembre-se que é para um bem maior – sua liberdade financeira. O primeiro passo é saber o valor exato de todas as despesas que você terá ao deixar a casa de seus pais.

  • Quanto custa o aluguel?
  • Tem condomínio?
  • Qual seria o valor aproximado das contas de água, luz e internet?
  • Você planeja se locomover de carro, ônibus ou a pé?
  • Arca com mensalidade de faculdade?
  • Possui dívidas em seu nome?
  • Quanto poderá gastar com alimentação?

Todas essas perguntas precisam ser respondidas de forma sincera, porque só assim você possuirá uma prospecção de gastos.

E lembre-se, após fazer o levantamento de suas despesas, todos os custos fixos não podem de forma alguma ultrapassar 65% da sua renda. Isso equivale a dizer que se você ganha R$ 2.000,00 precisará viver com R$ 1.300,00.2.

2. Reserve dinheiro

como se planejar financeiramente para morar sozinho
Fonte: Freepik

Aproveite o fato de morar com os seus pais e enquanto você busca respostas para as perguntas acima, faça algo pelo seu futuro: reserve dinheiro.

Sendo assim, não saia de casa antes de ter a sua reserva de emergência. Em outras palavras, é preciso que você poupe cerca de 6 meses do seu atual custo de vida. Isso porque você deve se antecipar sempre para emergências que possam surgir.

Lembre-se que não existe gás eterno e infelizmente o desodorante acaba justamente nos momentos em que não podia acabar.

Pense ainda que, se grande parte de sua renda já estará comprometida com as despesas fixas, de onde você tirará dinheiro caso o seu carro quebre ou caso fique doente? Reserva de emergência, claro!

Mas, calma, por aqui já fizemos um post completo sobre como fazer a sua reserva de emergência e quais os melhores investimentos. Assim, você evita apuros futuros.

3. Reduza gastos com móveis usados

É comum olharmos a vida de quem nos cerca e achar que a independência financeira segue um carrão na garagem, uma casa própria e 3 viagens ao ano. No entanto, às vezes as coisas começam com um colchão no chão, uma geladeira usada e um fogão duas bocas.

O que queremos dizer é que parte do processo de como se planejar financeiramente para morar sozinho envolve a consciência de que você terá que fazer escolhas e começar de baixo. Mas isso não quer dizer que sempre será assim.

O importante é dar o primeiro passo é aprender que tudo tem um começo. Se você não pode comprar uma mobília nova, por exemplo, saiba que existem diversas casas de móveis usados e brechós espalhados pelo Brasil com preços bem acessíveis. E o melhor, geralmente nesses locais é possível pedir descontos.

Outra forma de conseguir economizar na mobília é comprando pela internet. As lojas online tendem a trazer preços mais atrativos, que podem ser gerenciados por sites de comparativos de preços, como o Zoom.

Por ele, além de comparar preços de produtos disponíveis em diversas lojas, ainda é possível conseguir cashback e cupons de descontos. Um prato cheio para aqueles que estão prestes a sair de casa, não acha?

4. Economize dinheiro dividindo despesas

Outra forma de economizar nos gastos é dividindo as despesas com um terceiro. Sabe aquele seu amigo que também quer sair de casa, mas tem um pequeno orçamento para manutenção de seu custo de vida? Que tal unirem forças e alugarem um imóvel juntos?

Quando saímos de casa temos que arcar com diversas contas fixas: aluguel, água, luz, internet e mercado. Essas contas podem consumir grande parte do seu salário, sem que você se dê conta.

Por isso, alugar uma casa para morar com um amigo é uma forma de diminuir os gastos e até economizar. Afinal, enquanto um arca com a conta de luz o outro pode arcar com a conta de água. Ou ainda, vocês podem somar todos os gastos e dividirem o valor total das despesas ao meio.

Além disso, devemos considerar que a maior desvantagem de sair da casa dos pais é a solidão. O que não acontece quando você divide o mesmo teto com um amigo próximo.

Mas, atenção! Se for optar por dividir um imóvel com alguém, lembre-se de escolher uma pessoa de confiança. Afinal, não há nada mais desagradável do que ficar na mão na hora de pagar uma conta, por falta de responsabilidade de outrem.

Com essas dicas fica fácil evitar perrengues e tomar uma decisão mais estratégica. Agora que você já sabe como se planejar financeiramente para morar sozinho, que tal compartilhar o post com seus amigos nas redes sociais? Sucesso e até mais!