Anúncios

Anúncios

criar uma reserva de emergência
Fonte: pixabay

Certamente, antes de guardar um certo valor para lidar com imprevistos, é preciso ter um planejamento correto. Por esse motivo, é interessante identificar as melhores formas de criar uma reserva de emergência e entender de um modo ainda mais claro sobre esse processo.

Anúncios

É uma quantia que, caso ocorra qualquer emergência, poderá reduzir prejuízos e assegurar maior tranquilidade para as pessoas. Caso contrário, será um valor com aplicação em um investimento com chances de resgate rápido e com grande proteção. 

Como criar uma reserva de emergência?

Em primeiro lugar, é importante ter consciência de que um planejamento consistente faz toda a diferença para criar uma reserva de emergência. Afinal, é algo que envolve a sua renda mensal durante certo período e depois, terá um papel crucial para a sua segurança. Entre as ações essenciais para o processo, estão:

Organização financeira

Primeiramente, é preciso entender e organizar as suas finanças. Afinal, será preciso chegar ao ponto de definir uma quantia mensal e direcionar para a construção da sua reserva, que condiz com o tópico seguinte.

Nesse primeiro momento, há precisão de organizar os gastos e os ganhos. Anote tudo, tanto o que é fixo e essencial, quanto o que se pode classificar como supérfluo e variável. Não se esqueça de incluir gastos como alimentação, cartão de crédito, água, luz, plano de saúde, transporte, aplicativos, streaming, entre outros.

Lembre-se que, de acordo com as divisões e análises, será possível notar onde há chances de melhorar, por exemplo, com cortes e reduções.

criar uma reserva de emergência
Fonte: freepik

Definição de meta

Em segundo lugar, com base na sua organização, é importante chegar a uma quantia para poupar todos os meses. Lembre-se que a definição de um objetivo é indispensável nesse processo.

Além disso, não se esqueça que é crucial que a meta esteja dentro da sua realidade, ou seja, tenha alinhamento com todas as suas anotações. No entanto, e se você não sabe quanto é preciso para criar a sua reserva?

A recomendação mais comum é para que 3 ou 6 meses do custo de vida seja reservado. Todavia, é natural que de acordo com a realidade de cada pessoa e objetivos, esse período mude, há inclusive quem escolha reservas maiores. 

Por outro lado, lembre-se que em qualquer momento é possível analisar de novo o cenário e, por exemplo, elevar o valor da reserva. Tenha sempre consciência de seus planos a curto, médio e a longo prazo, pois também podem te ajudar nessa definição.

Dessa forma, sem dúvidas, será mais fácil notar fatores como quando e quanto. Por exemplo, 15% da sua renda mensal terá como destino a sua reserva de emergência. Soma-se a esse cenário a precisão de observar em quantos anos o valor poderá ter alcance a partir da porcentagem que é viável poupar. Todavia, vale lembrar que, uma vez que imprevistos ocorrem, podem ter meses em que será possível poupar menos ou mais. 

Escolha de aplicação

Lembra do início do texto quando se falou sobre o valor ficar em segurança em uma aplicação de baixo risco? É comum que para reservas de emergência opções com alta liquidez sejam escolhidas, pois o resgate do dinheiro pode ocorrer com maior agilidade em relação a outros investimentos.

Isso porque, o valor da reserva é justamente para lidar com imprevistos. Por esse motivo, após ter uma reserva de emergência e um planejamento financeiro adequado, é interessante analisar e diversificar as suas aplicações. 

Para a reserva, é muito comum que as aplicações sejam feitas no Tesouro Direto, CDB com liquidez diária e nos fundos de investimento com prazos curtos. Nesse caso, é preciso priorizar ainda mais uma liquidez alta, as baixas oscilações e a proteção de seu capital.

No entanto, vale lembrar que seja para a reserva ou para qualquer outra aplicação, é crucial ter em mente que conhecer o seu perfil de investidor faz toda a diferença. Isso porque é a partir dele que os investimentos poderão ser avaliados e selecionados com uma maior segurança.

Conclusão sobre como criar sua reserva de emergência

Nesse cenário, embora existam várias indicações, inclusive, que abrangem prazos, é interessante ter consciência da própria realidade. Acima de tudo, todos os parâmetros devem ser definidos de acordo com a sua necessidade da reserva de emergência, hábitos, renda, entre outros fatores.

Prazos, aplicações, porcentagens e economias incorretas podem resultar em frustrações, inclusive, em falta de estímulo para agir com comprometimento. Soma-se a esse cenário a necessidade de analisar de forma regular a reserva e o planejamento financeiro. Caso seja preciso, mude suas ações para obter resultados cada vez melhores.

Por fim, foi possível observar uma série de particularidades que envolvem o processo de criar uma reserva de emergência com comprometimento. Por isso, é muito importante que as pessoas tenham clareza em relação às suas necessidades, metas e definição de perfil de investidor. Agora que você tem conhecimento sobre esse processo crucial, aproveite para compartilhar o conteúdo.