Anúncios

guia do mercado financeiro
Fonte: Pexels

Ano após ano somos bombardeados com notícias sobre previsões do mercado financeiro. Valorização do dólar, inflação que ora cai ora sobe, ações promissoras sempre despontam entre as prospecções do Mercado.

Mas, o que muitos sequer se questionam é sobre o fundamental: o que é o mercado financeiro? Aliás, do que se constitui esse ambiente e quais são os produtos que nele são transacionados? 

Sendo assim, as respostas para essas perguntas e muitas outras você encontra neste guia do mercado financeiro a seguir.

Afinal, o que é mercado financeiro?

O mercado financeiro consiste no ambiente em que seus membros podem negociar ativos. Estes vão desde as famosas ações até commodities. 

Em tese, cada país possui o seu próprio mercado financeiro, no entanto, as negociações podem ser feitas sobre ativos internos e externos. Nesse sentido, no Brasil, o nosso ambiente financeiro por excelência é a B3, a Bolsa de Valores, em que o índice de maior peso é o Ibovespa.

As 4 ramificações do mercado financeiro

Entendido o que é o mercado financeiro, devemos ter em mente que o mesmo não é um construto indivisível. Pelo contrário, constitui-se de ramificações, a saber:

1. Mercado de crédito

Como já nos sinaliza o nome, o mercado de crédito opera com a concessão de crédito de curto, médio e longo prazo. Sendo assim, faz a mediação entre o fornecimento de crédito para consumo e crédito para capital de giro entre empresas e pessoas.

2. Mercado de câmbio

O sistema financeiro que se relaciona com a troca de moedas de diferentes países é o mercado de câmbio. Considerando que cada moeda possui um valor específico, é responsabilidade desse mercado analisar a equivalência de valores a partir das taxas cambiais.

3. Mercado monetário

Responsável pela concessão de empréstimos de curto prazo, o mercado monetário atua visando a liquidez econômica. Aqui se dão transações como: empréstimos e investimentos em títulos públicos com alta liquidez.

4. Mercado de capitais

O mercado de capitais está intimamente relacionado com a distribuição de valores imobiliários. Assim, nesse segmento do sistema financeiro negociam-se ações, debêntures, FIIs etc.  Aqueles investimentos com rentabilidade de médio e longo prazo.

Quem participa do mercado financeiro?

Para adentrarmos melhor no guia do mercado financeiro, devemos entender como funciona este grande ambiente.

Sendo assim, o Mercado constitui-se de três pilares: emissores, intermediários e investidores, e cada um deles possui o seu papel de peso dentro desse ambiente. Os emissores são instituições que têm por função emitir títulos públicos e/ou ações.

A partir do ambiente de negociações, os emissores buscam recursos para o financiamento de seus projetos, concedendo como troca juros futuros ou parcela dos lucros obtidos com a entrada dos investidores. Estes podem ser pessoas físicas ou fundos de investimentos.

No entanto, as transações e negociações financeiras só são possíveis devido aos intermediários que, como prediz o nome, mediam as relações entre emissores e investidores.

Nesse sentido, corretoras e demais instituições intermediárias fornecem todos os mecanismos e ferramentas que possam conectar todos os membros.

Além dessas instituições, temos outras mais que regulam e fiscalizam o mercado financeiro. O Banco Central, por exemplo, além de possuir o poder exclusivo de emissão de dinheiro, ainda supervisiona o grande Mercado.

Já a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) tem a responsabilidade da gestão e fiscalização de todo o mercado de valores mobiliários em solo nacional. Por fim, o Conselho Monetário Nacional (CMN), o máximo expoente do mercado financeiro, tem por responsabilidade a normatização do mercado.

Conhecendo os produtos financeiros

guia do mercado financeiro
Fonte: Pexels

Agora que já entendemos o que é o mercado financeiro e quais são os membros que o constituem é importante entender um pouco mais sobre os produtos que são comercializados nesse ambiente.

Denominamos de produtos financeiros as diversas opções de investimentos que temos à nossa disposição no Mercado. Assim, ações, ETFs, títulos públicos, fundos imobiliários, debêntures são algumas das mercadorias que podem ser transacionadas. Vejamos um pouco delas:

  • Ações: dizem respeito a parcelas de empresas capazes de fazerem do investidor um acionista apto a receber os dividendos.
  • ETFs: espécie de condomínio em que diversos investidores aplicam seus recursos em comunhão. Compõe-se de vários ativos financeiros administrados por um gestor em específico.
  • Títulos públicos: de baixo risco, são investimentos de renda fixa, cujo objetivo é fornecer recursos para o pagamento da dívida pública e promover estrutura para atividades governamentais.
  • FIIs: fundos financeiros que são alocados em ativos imobiliários. Podem ser de 2 tipos, os de papel, correspondente a recebíveis imobiliários e os de tijolo, investimentos em imóveis em concreto.
  • Debêntures: conhecidas como títulos de dívidas ou de crédito, quase que um empréstimo para companhias, o qual concede ao investidor direito de crédito contra a empresa em questão.

Esperamos que com este guia do mercado financeiro tenha ficado um pouco mais claro os seus principais componentes. 

Agora que você adentrou esta caminhada da definição de cada pilar elementar do Mercado, então conta aí pra gente nos comentários: você já investe em algum dos ativos aqui mencionados? Aliás, qual é o seu preferido?