Anúncios

tipos de finanças
Fonte: Freepik

Há quem acredite que finanças correspondem somente à ideia de finanças pessoais. No entanto, no mundo dos investimentos, há diferentes tipos de finanças para diferentes fins.

É importante entender que as finanças são processos de gerenciamento de dinheiro para melhor cumprir obrigações de cunho financeiro com outros sujeitos, instituições financeiras e até mesmo para com o Governo.

Pensando assim, fica fácil compreender que a gestão financeira, embora similar entre os diferentes setores a qual se propõe, requer relações diferentes, a depender do tipo de finança em questão.

Assim, se quer se tornar um empreendedor de sucesso ou ainda melhor gerenciar seus gastos pessoais, mas não sabe por onde começar, então este post é para você. Hoje iremos conhecer as modalidades de finanças e suas particularidades. Vem com a gente!

1. Finanças pessoais

As finanças pessoais certamente correspondem à modalidade mais conhecida quando tratamos de educação financeira. Quando falamos de finanças pessoais englobamos neste conceito guarda-chuva todo dinheiro ou bem que uma pessoa e/ou família necessita para a manutenção de sua vida.

Nesse sentido, este tipo de finanças abarca desde o processo de aquisição monetária até o processo de planejamento de gastos e pagamento de dívidas.

Aliás, as finanças pessoais também englobam os investimentos financeiros de uma pessoa física. Seja uma reserva de emergência ou investimentos em renda variável, o dinheiro a ser alocado é sempre aquele compreendido pelas finanças pessoais.

O maior objetivo deste tipo de finanças consiste no melhor controle financeiro dos indivíduos quanto aos seus gastos fixos e emergenciais. Assim, espera-se que mesmo em momentos de adversidade econômica, os indivíduos possam passar pelas turbulências, sem quebra financeira.

Além disso, considerando que as finanças pessoais constituem-se também dos investimentos no Mercado, as mesmas visam trazer maior independência financeira aos investidores para a conquista de seus sonhos.

2. Finanças empresariais

Assim como as finanças pessoais, as finanças empresariais também se referem ao gerenciamento de dinheiro, mas neste caso de um empreendimento.

tipos de finanças
Fonte: Freepik

Assim, as finanças empresariais abarcam as despesas, lucros, pagamento de impostos e até prejuízos econômicos de um negócio. Por essas e outras, quando uma empresa possui um bom planejamento financeiro pode melhor dispor de seus recebíveis para a melhoria de seus processos internos.

Afinal, o maior objetivo desta modalidade de finanças consiste em custear todas as obrigações financeiras de uma empresa, sem que a mesma corra o risco de falir. Ora, espera-se que com uma organização financeira responsiva, o empreendimento alcance maior rentabilidade e diminuição de perdas e danos.

3. Finanças públicas

Este é com certeza um dos tipos de finanças que muito interessa a população, independentemente do local de moradia. Isso porque as finanças públicas dizem respeito àquelas em que o dinheiro público é gerenciado pelo Estado.

E que cidadão não quer saber onde a arrecadação pública está sendo investida? Em se tratando de dinheiro público, os orçamentos financeiros devem ser feitos a fim de que cada centavo arrecadado seja convertido em proveito da Nação.

4. Finanças comportamentais

Agora, quando se trata de finanças comportamentais temos que levar em consideração a apuração de dados sobre as movimentações dos investidores. Em outras palavras, este tipo de finanças circunscreve ações estratégicas ao que tange o mercado financeiro.

Quais ações os investidores mais compram? Por que uma ação recebe maior investimento do que outras? O que propulsiona a decisão de compra de uma determinada ação? 

Essas são perguntas que podem ser melhor respondidas quando se observa a partir da psicologia comportamental os fatores emocionais, cognitivos e sociais que impulsionam uma ação financeira.

Aliás, devemos lembrar que os investidores são pessoas de carne e osso e as ações nunca são 100% racionais e, portanto, estão passíveis de erros de cálculo. E como as ações dos investidores podem alterar as direções do Mercado, toda análise comportamental é bem-vinda.

5. Finanças experimentais

As finanças experimentais visam mapear o comportamento e ações de agentes financeiros a partir de uma espécie de ambiente de testes. 

Assim, os investigadores simulam uma série de condições de investimentos e estipulam certas variáveis hipotéticas que serão observadas de forma científica. Nesse sentido, a partir da observação e análise de diferentes resultados, ao estímulo de comportamentos financeiros é possível traçar melhores previsões de Mercado.

E como bem sabemos o quanto o mercado financeiro é volátil, bem como seus agentes, prever possíveis crises econômicas dentro de um possível cenário é essencial para a economia de um país.

Gostou dos tipos de finanças e quer aprender um pouco mais sobre educação financeira? Então acompanhe o nosso conteúdo diário sobre o universo dos investimentos e das finanças. Até a próxima!