Anúncios

alugar ou comprar um imóvel
Fonte: Pexels

Alugar ou comprar um imóvel? De acordo com uma pesquisa feita pelo IBGE, conforme nos informa a AgênciaBrasil, a maior parte da população brasileira tem casa própria. Sendo assim, segundo os dados, os imóveis quitados corresponderiam a 66,4% enquanto os alugados 18,3%.

O maior sonho de muitos brasileiros vai ao encontro dos dados supracitados. Isso porque ter uma casa própria pode passar a sensação de segurança e estabilidade, mesmo que isso não seja tão verdade assim.

Hoje já sabemos que ter uma casa para chamar de sua não é sinônimo de segurança, tampouco de investimento, de modo que alugar muitas vezes pode ser uma opção mais rentável. Alugar ou comprar um imóvel? Eis a questão que tentamos responder a seguir.

Verdade ou mito: casa própria é investimento? 

Você certamente cresceu a sua vida inteira, ouvindo desde cedo que se não fizesse dívidas, seja o parcelamento de um carro ou de uma casa própria, jamais teria algo seu, certo?

E se disséssemos que isso não é tão verdade assim? Obviamente, é mais vantajoso para as instituições financeiras que seus clientes sejam credores e não investidores. Afinal, é mais rentável que você se endivide e pague os juros correspondente à dívida do que ser investidor, apto a receber os juros pelo investimento feito.

Desta forma, quando se compra uma casa própria por um financiamento, gera-se uma falsa ilusão de que o imóvel é do comprador. No entanto, o financiamento nada mais é do que um “aluguel” do dinheiro para a compra da casa, ou seja, enquanto a dívida com o banco não for quitada, o imóvel não é seu.

alugar ou comprar um imóvel
Fonte: Pexels

Outro ponto importante que faz do imóvel um não investimento é o fato de que, ao comprá-lo para morar, você não terá condições de gerar dinheiro com sua venda ou aluguel. Em outras palavras, a sua casa própria não é um ativo, mas sim um passivo financeiro.

Por fim, devemos considerar que ao se tratar de um imóvel o dinheiro fica imóvel, ou seja inerte. Nesse sentido, a sua venda só será rentável se e somente se:

  • A venda for rápida;
  • O preço pago for o preço valorizado;
  • O dinheiro recebido possuir um destino.

O que de fato não acontece na realidade. Afinal, geralmente, os imóveis demoram para ser vendidos; a venda é feita a qualquer preço, posto a necessidade do proprietário; o dinheiro da venda é gasto em outros passivos ou investido incorretamente.

Mas, então, quando financiar é um bom negócio?

Têm coisas que nem mesmo os números podem medir. Embora o imóvel próprio não seja investimento, pode trazer a sensação de segurança e satisfação pessoal. Afinal, muitos brasileiros cultivam o sonho da casa própria.

Sendo assim, para estas pessoas, o financiamento de uma casa pode ser vantajoso quando o valor da parcela for menor ou igual ao valor do aluguel. Outro ponto a se notar é se o valor que você guardou para a entrada do financiamento, ao ser investido, retornará um capital menor do que a mensalidade do aluguel.

Fatores como localidade, tempo de morada, e facilidade de venda são essenciais para guiar a sua escolha pelo financiamento.

As vantagens de alugar um imóvel

Se você é daqueles que não nutre uma pulsão por ter uma casa própria, ao menos não a curto prazo, então alugar ou comprar um imóvel deixa de ser uma escolha emocional e passa a ser racional. 

Nesse sentido, sob uma perspectiva financeira, o aluguel pode ser mais vantajoso do que um financiamento. Considere que, embora o valor do aluguel só te permite o direito de morar no imóvel durante o mês em questão, ainda assim a parcela tende a ser menor do que a parcela de um financiamento. 

Além disso, alugar pode ampliar a sua mobilidade geográfica, uma vez que não te faz refém de um terreno. Para aqueles que não gostam de fincar raízes, o aluguel é mais vantajoso, ainda mais considerando a alta liquidez dos imóveis. Lembre-se: sua venda pode demorar anos.

No entanto, devemos lembrar que é direito do locatário o reajuste anual do aluguel. O reajuste é feito mediante a escolha livre do locador e locatário pelo índice de inflação, acordado em contrato.

No mais, se você que comprar um imóvel, mas não tem dinheiro para comprá-lo à vista, morar de aluguel pode te ajudar a conseguir uma casa para chamar de sua mais rápido do que um financiamento.

Isso porque ao morar de aluguel, você deixa de pagar a parcela do financiamento, portanto, pode usar a diferença e investir. Mas, onde investir? Isso é o que você confere a seguir!

E se ao invés de comprar, você investisse o que aconteceria?

Como vimos, ao invés de financiar, uma boa opção seria investir o valor da diferença entre o aluguel e o financiamento. Somado à diferença, utilizar o valor da entrada que seria dada no financiamento do imóvel é uma opção vantajosa.

Considerando esse cenário, ao optar deliberadamente por investir, você pode diversificar a sua carteira de investimento, evitando riscos. Aliás, sabe uma forma de investir em imóveis sem deixar o seu dinheiro imobilizado em concreto? A partir do investimento em FIIs.

Fundos Imobiliários podem ser ótimas escolhas de investimento, uma vez que sua rentabilidade anual de aproximadamente 10%, pode te gerar um bom patrimônio para compra de seu imóvel. Sem contar a rapidez de retorno que, se comparado ao tempo de quitação do financiamento, se torna mais vantajoso.

No limite, investir o dinheiro ao invés de comprar o imóvel, pode te trazer maior rentabilidade e lucratividade financeira. E isso se torna ainda mais evidente quando você já possui o valor total a ser desembolsado no imóvel e o realoca em FIIs. 

Assim, você teria uma fonte de renda passiva que complementaria a sua renda mensal, podendo te trazer mais conforto e a segurança que você tanto almeja.

As possibilidades são múltiplas e cada uma delas traz consigo suas vantagens e desvantagens. A verdade é que alugar ou comprar um imóvel depende muito de seu momento de vida, do capital que você possui e, claro, de seus objetivos.

Já te demos a deixa, agora cabe a você a resposta: o que é melhor para você neste momento com as condições financeiras que você possui? Nos vemos em breve, até mais!