Anúncios

Anúncios

CDI
Fonte: freepik

Determinadas siglas e taxas do mercado financeiro podem soar confusas a princípio devido a variedade e outros pontos específicos. No entanto, a influência desses fatores, como da taxa CDI (Certificado de Depósitos Interbancários), torna importante a criação de maior proximidade e clareza sobre o assunto.

Anúncios

Deseja saber qual é o conceito de CDI? Obter informações sobre seu rendimento? Essas e outras questões serão abordadas ao longo do texto de uma forma ampla. Confira a seguir tudo sobre CDI.

O que é CDI?

Em primeiro lugar, CDI corresponde a sigla de Certificado de Depósito Interbancário e para compreender o meio financeiro com maior clareza, principalmente quando as transações possuem grande impacto nos investimentos, há necessidade de explicar alguns termos.

No caso das transações interbancárias, que nomeiam o tema do texto, tratam-se de empréstimos realizados entre os bancos. Isso ocorre para que o caixa do dia seja positivo, ou seja, de forma que mais dinheiro tenha entrado e não o contrário. Como mais dinheiro poderia sair do que entrar? Há razões variadas, por exemplo, em um determinado dia, a quantidade de saques pode ser significativamente superior a de depósitos.

Sendo assim, para que o saldo não seja negativo, existe a necessidade do empréstimo a partir dos outros bancos. Nesse cenário, é preciso considerar que uma das principais características dos empréstimos é o juros e não é diferente nesse caso.

Esses juros são definidos pela taxa CDI, que corresponde a um resultado da forma que os bancos estão obtendo juros devido aos empréstimos para outras instituições financeiras. Por essa razão, é muito comum ouvir dizer que o CDI é uma taxa de juros.

Com esses dados, observa-se outra característica do CDI: taxas diárias. A partir disso, calcula-se uma média anual e outra mensal do CDI,por exemplo, em 2019 o rendimento da taxa anual foi de 5,9%. Essas taxas são averiguadas para a rentabilidade de diferentes investimentos.

Todas as transações possuem registro pela B3, a bolsa de valores brasileira e a taxa média de juros existente nas certificações interbancárias é alvo de cálculos. Todos os dias ocorre a divulgação dessa taxa, sendo chamada de taxa do CDI ou taxa DI.

Entenda a rentabilidade do CDI

No que diz respeito à rentabilidade, ao citar a expressão de que determinado título “rende 100%” do CDI, significa que a rentabilidade não terá alteração desde a aplicação até seu vencimento. É importante também ter atenção sobre títulos que apresentam um valor superior ou inferior do CDI.

Observe também o exemplo de um CDB com rendimento de 60% do CDI, nesse caso somente uma parte da taxa DI é obtida pelo investidor. No entanto, em ambos os casos, de 100% ou 60% , se a taxa elevar durante o investimento, o retorno será maior, da mesma forma que se cair, o investidor receberá menos.

Além disso, o crescimento significativo dessa taxa demonstra que o custo do dinheiro está razoavelmente alto, o que também tem ligação com a inflação. De alguns pontos de vista esse cenário é negativo e de outros, positivo.

Por exemplo, para quem tem aplicações em CDI, o aumento da taxa resulta em satisfação, mas também, de forma geral, pode ser um indicador de um cenário negativo na economia. No cenário inverso, os investimentos que se enquadram no grupo pré-fixados rendem mais, e no de pós-fixados tornam-se menos atrativos.

Quais investimentos são impactados pela taxa CDI?

CDI
Fonte: freepik

O CDI acabou virando uma referência para investimentos que se enquadram como renda fixa e pós-fixada. Para compreender com uma clareza maior este ponto, é válido citar que os investimentos não são feitos por cidadãos comuns no CDI, mas as instituições financeiras aplicam essa taxa para estipular o rendimento de determinados investimentos.

Se por um lado há o grupo pré-fixado, em que a taxa de rendimento é definida no momento em que a aplicação é selecionada, por outro, existe o pós-fixado, com rendimentos estipulados quando a aplicação vence, de acordo com um índice aplicado como base, tal como o CDI.

Sendo assim, é preciso considerar que no caso do CDI, o investidor não tem certeza sobre qual, de fato, será o retorno. Em meio aos investimentos de maior destaque que são afetados pela taxa CDI, estão:

  • Letras de Crédito Imobiliário (LCIs);
  • Letras de Crédito do Agronegócio (LCAs);
  • Letra de Câmbio (LC);
  • Certificados de Depósito Bancário(CDBs) pós-fixados.

Enquanto o LCI tem a emissão por bancos no momento da captação de recursos para o financiamento da área imobiliária, o LCA é direcionado para captação de capital de financiamentos do setor agrícola.

Diferentemente de outros títulos da lista, o LCI tem emissão por financeiras, também nomeadas como instituições financeiras não-bancárias.

Já o CDB possui mais de uma categoria, sendo que este fator varia conforme a rentabilidade e no caso dos pós-fixados, são associados com a rentabilidade CDI. Trata-se de um título de Renda Fixa, que condiz com a obtenção de crédito de pessoas físicas aos bancos.

Qual é a ligação entre a taxa Selic e o CDI?

Se você quer saber tudo sobre CDI, é importante citar a taxa Selic, afinal, ambos são fatores cruciais no mercado de investimentos e há certa proximidade entre as duas, inclusive nos valores.

Em primeiro lugar, para garantir um entendimento mais claro, vale abordar do que se trata a taxa Selic, uma taxa básica de juros, estipulada a cada 45 dias pelo Comitê de Política Monetária do Banco Central (COPOM).

A relação das duas está associada principalmente com o quão superior uma está da outra. Isso porque caso a Selic seja significativamente maior que a CDI, os bancos podem apresentar preferência pelo empréstimo ao governo em prol de um resultado mais rentável. Caso contrário, o cenário não se torna muito vantajoso para os bancos.

Agora que você já conhece a taxa CDI, é possível decidir com maior segurança caso queira investir. Inclusive, foi possível obter um maior conhecimento sobre outros tipos de títulos, o que é importante para ter uma maior clareza sobre o mercado financeiro.