Anúncios

sistema de valores a receber
Fonte: Freepik

Após muitos mistérios e expectativas, o BC lançou recentemente em seu site um sistema de valores a receber, denominado Registrato.

Aliás, a ferramenta já está em vigor e possibilita que tanto pessoas físicas como pessoas jurídicas possam pesquisar se possuem algum dinheiro disponível em contas de bancos e financeiras.

Nesse sentido, a consulta é simples, exigindo apenas uma conta cadastrada na plataforma, oportunizando assim consultas da importância em débito. Além de ser possível tomar ciência de contas abertas no CPF do próprio consulente. Confira mais a seguir!

Quais as fontes dos valores disponíveis?

A verdade é que não é qualquer cidadão brasileiro que irá abocanhar uma fatia dos R$ 3,9 bilhões já disponibilizados pelo BC. Afinal, prospecta-se que os R$ 8 bilhões de resgate advenham de contas inativas, débitos indevidos e entre outros. 

Confira já as principais fontes dos resíduos a receber:

  • Contas inativas, seja em uma corretora ou instituição financeira, com saldos parados;
  • Cobranças tarifadas indevidamente;
  • Consórcios finalizados com resíduos em a ver.

É importante dizer que a cifra bilionária advém em especial de resíduos que não foram sacados. Os credores? Bem, nada mais nada menos do que 24 milhões de brasileiros que possuem saldos positivos.

Vale dizer, conforme o próprio BC alerta, que os valores disponíveis nem sempre são valores altos, e dependem da situação de cada correntista.

Afinal, como fazer a pesquisa pelo sistema de valores a receber?

sistema de valores a receber
Fonte: Freepik

Em termos simples, a consulta é feita integralmente pelo site do BC, na plataforma do Registrato. Para tanto, é preciso que o consulente tenha uma conta cadastrada no site, seja a Conta gov.br ou o próprio login do Registrato.

Em seguida, basta procurar a aba de “Restituição de contas inativas” e clicar na aba valores a receber. Em caso de resíduo disponível, o dinheiro em questão pode ser resgatado diretamente via Pix, pela conta indicada no próprio sistema Registrato para instituições financeiras que aderiram um termo específico.

Outra forma de reaver o dinheiro é por um meio de transferência ou pagamento que deve ser informado para a instituição bancária. Neste caso, o correntista deverá repassar os seus dados de contato para a comunicação ser realizada.

Vale salientar que o saldo “esquecido” de um ente falecido também pode estar disponível. No entanto, o recebimento só se dá mediante uma ação de levantamento de alvará. O que viabiliza o saque da importância pelos respectivos herdeiros.

Queda do site do BC e retorno das consultas pelo sistema de valores a receber

Após a divulgação do BC da restituição do dinheiro “esquecido”, muitos brasileiros não demoraram muito a fazerem suas consultas no sistema de valores a receber.

Contudo, devido à grande repercussão da notícia, o site do BC ficou sobrecarregado, saindo do ar, considerando o grande número de acessos. Isso gerou grande insatisfação na população que se viu de mãos atadas na hora de suas consultas.

Frente ao quadro geral, o Banco Central divulgou que as consultas dos valores a receber retornarão apenas no dia 14 de fevereiro de 2022. Assim, espera-se que a capacidade de atendimento do sistema seja ampliada a fim de suportar a alta demanda de consultas.

O que fazer em caso de não recebimento?

Diante daqueles casos de pessoas que já fizeram o cadastro, informaram o CPF e os dados do recebimento do dinheiro “esquecido”, mas mesmo assim não o receberam, o que fazer?

Nesses casos, é essencial que o cidadão entre em contato com o Serviço de Atendimento ao Cliente (SAC) da própria instituição financeira devedora, informando a situação em questão. 

Se porventura o dinheiro não for pago, o cliente pode abrir uma reclamação com protocolo pela ouvidora da instituição financeira que está retendo o crédito a receber. No limite, se a ouvidora não for capaz de solucionar o problema, acionar o Procon é uma possibilidade.

Deste modo, o credor pode entrar no site Consumidor. gov, para um atendimento extrajudicial para resolução de demandas antes que desaguem no poder judiciário. Já no site, basta fazer o cadastro, relatar o problema e aguardar a resolução dentro do prazo estabelecido.

Em última instância, é essencial buscar o “Fale Conosco” do Banco Central, reportando o ocorrido. Assim, espera-se uma atitude resolutiva mais efetiva do órgão competente. 


Chegamos ao fim de mais uma publicação. Se gostou do nosso post de hoje e se as informações foram úteis para você, então compartilhe nas redes sociais. Além disso, para mais conteúdos informativos, não deixe de acompanhar as nossas demais publicações diárias aqui no site. Até breve!