Anúncios

precificar um produto ou serviço
Fonte: Freepik

Sem dúvidas, a etapa de precificação é encarada com grande receio por muitos empreendedores, em especial, por soar complexa. No entanto, hoje em dia, existem cada vez mais recursos que permitem precificar um produto ou serviço de forma adequada.

Afinal, não basta ter como base apenas a concorrência. Além disso, há uma série de termos que merecem compreensão, de fatores que devem estar no cálculo para a prática de valores coerentes. A seguir, você saberá mais sobre o processo de precificação e o que não pode ficar de fora.

O que é a precificação e qual é a sua importância?

De acordo com o que o próprio nome indica, a precificação consiste na definição dos valores dos serviços ou dos produtos de um negócio, que pode ser de qualquer área. No entanto, é visto como algo complexo para muitos por causa dos diferentes fatores que devem ser considerados, tais como:

  • Margem de lucro;
  • Custos do negócio;
  • Valor agregado;
  • Padrões da concorrência;
  • Percepção do público.

Em suma, são fatores que condizem com as despesas e o lucro esperado. No que diz respeito à margem de lucro, é importante explicar que se trata de uma métrica que condiz a distinção entre o faturamento de venda e os custos para produzir. 

Uma das principais vantagens da precificação é a prática de um preço coerente. É algo que diz respeito tanto ao mercado quanto ao empreendedor em si e seus objetivos. Logo, ter consciência de como definir os valores também é crucial para o capital de giro do negócio e, como consequência, para o atendimento dos custos variáveis e dos fixos.

Entenda melhor o que significa cada parte do cálculo para precificar um produto ou serviço

Conforme informações anteriores, o cálculo para precificar um produto ou serviço reúne fatores essenciais, sendo eles os custos, as despesas e o lucro. No entanto, são particulares e podem ser abrangentes. Por isso, é interessante ter uma ideia do que se trata.

No caso dos custos, são aqueles que estão associados de uma forma direta com o produto ou serviço. Sendo assim, pode envolver embalagens, insumos para produção, entre outros. 

No entanto, há outros gastos para os empreendedores, como os que não estão associados de uma forma tão direta, mas ainda assim são essenciais, como os impostos, itens em prol do conforto e qualidade do local.

Basicamente, as despesas estão ligadas com a administração do negócio, enquanto os custos, conforme citado, com a produção.

Ao falar do lucro, se trata essencialmente da distinção entre o preço da venda e o que teve aplicação para o atendimento dos custos citados. Nesse caso, é importante abordar o termo margem de contribuição, que se refere ao que sobra das vendas para que as despesas sejam cobertas e que haja lucro.

precificar um produto ou serviço
Fonte: Freepik

Dicas para precificar um produto ou serviço

É possível encontrar diferentes maneiras para que um negócio funcione e não é diferente ao se tratar das finanças. No entanto, existem algumas bases de cálculos que são recomendadas. Elas também podem variar. Por isso, vale a pena sempre pesquisar e identificar o que pode ser mais compatível com a empresa.

Identificar as fórmulas é importante, porém, é crucial sempre pesquisar os valores de mercado. Entender a percepção do cliente e os valores praticados pela concorrência, contribui de maneira significativa para o alcance de preços ainda melhores.

Já no caso da precificação em si, a cobertura de custos e despesas, com alcance do lucro pretendido deve ser visada. A grande diferença entre precificar um produto e serviço está no que é considerado para os cálculos, uma vez que no segundo caso, se consideram as horas para a execução do serviço. No primeiro, as horas de trabalho também devem ter ter análise, mas variam significativamente, como no caso de apenas revenda ou itens artesanais.

O método Markup

O método de Markup é um dos principais quando se trata de precificação e tem o custo como base. É preciso ter ideia do custo fixo, impostos que a venda abrange e dos custos do que será comercializado. Desse modo, a conta é a seguinte:

100 ÷ [100 – (despesas variáveis + despesas fixas + lucro)]

No entanto, há empreendedores que optam por outras maneiras, como cobrar apenas dobrando os custos com o produto ou a precificação inteligente. Nesse caso, há redução dos preços de produtos mais flexíveis e o ajuste por meio de outros para que exista equilíbrio nas despesas do negócio, entre outros métodos. 

Com as informações apresentadas no decorrer do texto, se pode compreender que um processo adequado para precificar um produto ou serviço é uma base importante para as finanças de uma empresa, inclusive, para o lucro. Saiba que é algo que deve ser revisto regularmente. Você conhece alguém que precisa ter uma melhor organização empresarial? Não deixe de compartilhar esse conteúdo.