Anúncios

Anúncios

tipos de e-commerces
Fonte: freepik

As diferenças entre os tipos de e-commerces são cada vez mais perceptíveis, uma vez que o mercado, em meio à sua abrangência, apresenta avanço constante. Além disso, é preciso considerar que, a busca crescente pela praticidade faz com que diferentes recursos façam parte do dia a dia de grande parte das pessoas.

Anúncios

Com o alcance de R$53 bilhões só no primeiro semestre de 2021, o e-commerce no Brasil ocupa um espaço de destaque entre os consumidores. No entanto, em prol de um crescimento sustentável, as empresas precisam ter atenção entre as particularidades que os canais de vendas apresentam.

Desse modo, a adaptação a diferentes meios ou até mesmo substituição de alguns é algo cada vez mais comum. A seguir, você poderá descobrir quais são as principais distinções entre os tipos de e-commerces e algumas tendências, vantagens, entre outros fatores a respeito de cada um.

Os principais tipos de e-commerces

Em primeiro lugar, ao citar os principais tipos de e-commerces e suas diferenças, é importante abordar do que se trata o e-commerce em si. Afinal, é a peça central deste conteúdo. Basicamente, o comércio eletrônico condiz com as operações comerciais digitais.

Desse modo, é algo que abrange desde a navegação e seleção dos produtos na plataforma por parte dos clientes até o encerramento do pedido com o pagamento. É um meio que ganhou grande destaque com a transformação digital por causa de motivos como os seguintes:

  • Entrega em casa;
  • Praticidade para comparar produtos e preços;
  • Rapidez do processo;
  • Comodidade;
  • Acesso fácil as avaliações.

Além disso, em meio a pandemia essa forma de negócio também cresceu em muitos segmentos, em especial, pelo isolamento social ser um dos principais meios de prevenção. Já quando se fala de seus tipos, pode-se encontrar opções como:

Social Commerce

De acordo com o que o próprio nome indica, o Social Commerce diz respeito ao comércio digital com base nas redes sociais. As marcas usam esses canais especialmente para se tornarem mais próximas de seus clientes, por causa das chances de otimização do relacionamento como um todo, inclusive para atrair novas pessoas.

A diversidade dos recursos dessas redes é cada vez mais trabalhada, o que favorece tanto as táticas das empresas quanto a forma de compra. Nesse caso, fala-se em recursos como a presença em chats online ou até mesmo uso de chats bots, entre outras chances de automatização.

Nesse cenário, um grande exemplo é o Instagram Shopping, que pode ser integrado à plataforma de vendas dos empreendedores. Já o usuário, ao utilizar a rede, obtém maior praticidade para a jornada de compra.

Mobile-commerce

tipos de e-commerces
Fonte: freepik

Também chamado de M-commerce, essa nomenclatura tem uso para o comércio digital por meio de tablets e smartphones. É uma parcela cada vez mais notável, que aumenta a praticidade no cotidiano. 

Assim como no caso do s-commerce, o número e variedade de funcionalidades favorece uma quantidade maior de vendas. Vale considerar que um ponto de grande destaque a respeito do tema deste tópico fica por conta das chances cada vez maiores de integração entre os meios digitais, fazendo com que os usuários tenham acesso a uma gama crescentemente mais rica de conteúdos e produtos.

T-commerce

tipos de e-commerces
Fonte: freepik

Você já ouviu falar em T-commerce? É uma forma ainda mais diferenciada do que as anteriores. Além disso, quando se fala de estratégias de marketing digital, tem grande potencial e ao se tratar dos tipos de e-commerces, essa é uma forma capaz de unir o comércio eletrônico com o público da televisão.

Nesse cenário, sabe-se que a televisão é visada há muito tempo para propagandas. No entanto, quando se fala em t-commerce, é preciso considerar algo com maior direção para o digital, ou seja, com códigos e cards que permitem o acesso do usuário.

Desse modo, para que seja eficaz, é preciso contar com uma série de pontos, por exemplo, um aparelho propício para ler o código ou a apresentação de um site visível para o telespectador. Por isso, as empresas consideram sempre as melhores chances possíveis de proporcionar uma experiência de qualidade para os usuários.

Por mais que os canais e suas respectivas estratégias possam contar com alguns pontos semelhantes, é preciso sempre considerar as distinções entre os tipos de e-commerce. Isso porque contam com estratégias de venda e como consequência, podem influenciar na credibilidade da marca, vendas, entre outros fatores.

Por fim, independente de qualquer fator, uma experiência de qualidade do usuário deve ser sempre uma prioridade. Isso porque seja uma plataforma que fornece interações personalizadas em ampla escala ou um pequeno perfil no Instagram que visa postagens dinâmicas, é um ponto que fará toda a diferença. Agora que você já conhece alguns dos principais aspectos sobre os diferentes tipos de e-commerce, aproveite para compartilhar o conteúdo.