Anúncios

Anúncios

startups unicórnios
Fonte: Freepik

Há muitos anos, as startups ganharam grande destaque no mercado, em especial, pelo potencial de alavancagem do modelo, sendo considerado muitas vezes inovador e com maior possibilidade de expansão. No entanto, as startups unicórnios possuem um diferencial ainda maior neste meio, uma vez que condizem com as empresas com avaliação igual ou superior a US$1 bilhão em valor de mercado. 

Anúncios

Já ouviu falar da C6 Bank, Deezer, da Hotmart ou do AirBnB? Estes são exemplos de startups unicórnio. O que torna essas empresas diferentes? Ao longo do texto, você poderá conhecer outras startups desse tipo, inclusive brasileiras e compreender mais sobre seus diferenciais.

Mais aspectos sobre as startups unicórnios

Em primeiro lugar, quando se trata do nome, vale citar que está relacionado ao fato de que, o unicórnio é classificado por muitos como um verdadeiro troféu e como algo especial. Aponta-se que quem usou esse termo pela primeira vez foi a investidora Aileen Lee, em um artigo sobre as lições das startups de um bilhão de dólares.

Nesse ponto, note que, no tempo em que o termo foi usado pela primeira vez em 2013, o artigo indicava quase 40 startups com classificação de unicórnio. Já em 2019, segundo a CB Insights, eram mais de 400. São diferentes categorias listadas. Além disso, é interessante observar que há três segmentos que se destacam de uma forma notável: inteligência artificial, fintechs e comércio eletrônico, softwares e serviços.

Então, em meio aos principais aspectos que podem ser notados nesses casos, estão uma atuação inovadora, como o Spotify, que impactou totalmente no modo de ouvir música. Além disso, a grande maioria conta com investimentos significativos em tecnologia, assim como na busca constante por aprimoramentos.

Desse modo, apresentam uma certa constância no posicionamento. Um outro ponto muito comum nesse cenário, é a atuação com foco no cliente, com serviços e produtos cada vez mais acessíveis.

Além disso, entre os países que contam com um maior número de startups unicórnios, se pode citar os Estados Unidos e a China. Locais como Reino Unido e Índia também contam com números notáveis na lista. 

Sendo assim, por mais que a ideia de algo raro já tenha sido associada com as startups unicórnio, é possível notar o crescimento dessas empresas no mercado. A seguir, você poderá saber sobre elas e descobrir quais são as brasileiras que possuem essa classificação.

Quais são as startups unicórnios brasileiras?

startups unicórnios
Fonte: Freepik

Hoje em dia, o Brasil conta com cerca de 20 startups unicórnios. Entre elas, estão nomes como a fintech Nubank, a plataforma de entregas Ifood e a Loggi, startup de tecnologia. A primeira, tornou-se uma das principais instituições financeiras do mundo e visa levar menos burocracia para a relação das pessoas com o dinheiro. Isso por meio de serviços como conta digital gratuita, cartão de crédito sem anuidade, programa de benefícios, entre outros.

Em relação ao Ifood, é uma empresa de tecnologia que conta com uma plataforma que vai além do delivery. Por meio de seus serviços os clientes, entregadores e os restaurantes são aproximados.

Já no caso da Loggi, se trata de uma empresa de tecnologia, que por meio de uma plataforma intuitiva e que fica cada vez mais completa, estabelece uma ponte entre os mensageiros e os clientes. Sendo assim, atende as mais diversas entregas.

Veja mais exemplos

Outros dois grandes exemplos são a Hotmart e a Unico. O primeiro caso contou com criação em 2011 e representa um unicórnio brasileiro responsável pela venda de cursos online dos mais variados nichos. Além disso, conta com oportunidades para quem deseja promover e comprar os cursos, assinaturas, e-books e muito mais. Não é à toa que é uma das 50 empresas de maior destaque ao redor do mundo quando se trata de educação online.

Já a Unico, contou com grandes investimentos esse ano e atende mais de 600 negócios. Entre eles, estão indústrias, varejistas e bancos, entre eles, se pode citar o Banco Original, C6 Bank, o Magalu e a Vivo. 

A fundação da empresa foi em 2007 e oferece programas com soluções de proteção da identidade digital. Aliás, conta com produtos que visam a admissão à distância, segurança nas transações online e presenciais, verificação de assinatura eletrônica e muito mais.

Além desses pontos, vale citar que as expectativas para as startups brasileiras são positivas. De acordo com a Associação Brasileira de Startups, a estimativa é que em cinco anos, o salto seja para 100 empresas deste modelo com classificação de unicórnio.
Por fim, se pode perceber que as startups unicórnios possuem ainda mais destaque no mercado. E, não é à toa a atração de fundos de investimentos que apresentam. Com as informações do texto, fica nítido o quanto a nomenclatura faz jus às essas empresas, mesmo que não sejam mais tão raras no mercado, isso em especial, ao considerar o diferencial que alcançam.