Anúncios

Anúncios

quarentenas em viagens
Fonte: Pexels

O meio das viagens aéreas, assim como outros, sofreu grandes impactos ao longo de 2020 devido a pandemia do Covid-19. Mesmo um ano depois, quarentenas em viagens estão cada vez mais rígidas, uma vez que o isolamento social segue como uma medida preventiva importante, em especial, para evitar o contágio por novas variantes.

Anúncios

Nesse contexto, vale a observação que a indicação por parte da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) é de isolamento de pelo menos sete dias para pessoas que estão ingressando em algum local do exterior. Já para aqueles que apresentam sintomas, a recomendação é de 14 dias.

Além disso, para quem vai viajar, é de grande importância buscar informações sobre os requisitos. Tanto para a viagem quanto da entrada em cada local para evitar problemas. Afinal, é crucial prezar pela segurança de todos. Uma grande dica nesse caso é procurar por fontes oficiais referentes ao destino de interesse e demais conexões.

A seguir veja mais informações sobre a maior rigidez nas quarentenas que tiveram aplicação em viagens aéreas entre os países e previsões para esse cenário:

Quais são os países que estabeleceram quarentenas em viagens?

Um dos casos mais recentes que representa bem o fato de que as quarentenas em viagens estão cada vez mais rígidas, diz respeito às mudanças nas viagens indiretas de brasileiros para Portugal. No início de março deste ano, ocorreu o anúncio de que os passageiros com escalas para Portugal do Reino Unido e do Brasil devem indicar um teste negativo de Covid-19.

Há outros pontos que exigem atenção, pois não basta mostrar o teste, é preciso que ele se refira a 72 horas antes da viagem. Além disso, será preciso ficar duas semanas em quarenta a partir da chegada.

Os voos privados diretos e comerciais já estavam suspensos desde o início do ano em prol de restringir o contágio de variantes do vírus. Todavia, ainda há autorização de voos de repatriação e humanitários diretos.

Outro exemplo, foi no início do ano, onde entre as ações executivas que tiveram a assinatura de Joe Biden, o novo presidente dos Estados Unidos, há um ato com diretrizes iguais às anteriores. No caso, os estrangeiros também devem fazer um teste e a quarentena conforme o CDC (Centro de Prevenção e Controle de Doenças).

O plano do governo de Biden estipula maior segurança para todos, inclusive, para a recuperação da economia. É crucial citar também que o CDC aponta que aqueles que apresentaram contato com alguém com COVID-19 devem ter isolamento de 14 dias.

Esses foram apenas dois exemplos, porém, vários países passaram a contar com essas medidas. No que diz respeito aos viajantes brasileiros, no Reino Unido e no Canadá também há necessidade de cumprir requisitos como os anteriores. Em Frankfurt apenas passageiros que se encaixam nas exceções podem ter acesso ao local, como pessoas com direito de residência na Alemanha.

Previsões para as viagens aéreas

quarentenas em viagens
Fonte: Pexels

Acima pode-se observar a adoção de medidas preventivas, porém, em alguns casos ocorreu a suspensão de alguns voos. Esse é o exemplo dos comerciais do Brasil para Bogotá e Lima. Nesses casos, ainda não há previsão para retorno, mas nos outros casos, em relação às medidas de quarentena mais rígidas, as próximas semanas são decisivas para novas posições devido ao cenário atual complexo.

Apesar da questão de que quarentenas em viagens estão cada vez mais rígidas, por outro lado, há países que em 2021 começaram a indicar também exigências que abrangem a vacina.

É o caso da Austrália, que anunciou que vai pedir não apenas testes negativos PCR, como também contou com a sugestão por parte da companhia aérea Qantas de uma certificação de vacinação.

De acordo com o diretor geral do Airport Council International (ACI), Luis Felipe De Oliveira à CNN, com as mudanças constantes de cenário, há grande complexidade para que o setor siga em frente. O diretor da representante dos aeroportos mundiais também aponta a piora da situação devido a ausência de uma iniciativa global com coordenação.

Conclusão

Atualmente, ações comuns contam com execução nas regiões com alguns aspectos diferentes. Da mesma forma que há algumas divergências também no que pode ser mais viável para um controle mais eficaz da situação no futuro das viagens aéreas.

Em um cenário geral, as incertezas são muito presentes, mesmo com a chegada das vacinas. Ao observar os dados, nota-se que há ainda muito o que se discutir sobre as medidas de acordo com o avanço do cenário. Desse modo, em algum ponto será possível estar mais próximo da definição de protocolos uniformes e seguros.

No que diz respeito às previsões, é crucial dar ênfase na necessidade da iniciativa global citada por Oliveira. Afinal, a partir desse ponto, há chances de identificar e compartilhar de modo seguro os dados.

Sendo assim, o panorama ainda é repleto de testes e falta de uniformidade. Profissionais apontam que embora cada vez mais medidas provisórias tenham aplicação, o objetivo a longo prazo é a estabilidade. Portanto, por hora as quarentenas em viagens mais rígidas são uma solução viável para a contenção de danos ainda maiores.