Anúncios

ministério da economia
Fonte: Portal do Governo

É muito provável que você já tenha escutado sobre pelo menos um dos ministérios do governo, como o Ministério da Economia. Afinal, são cruciais para as articulações do presidente da república. No conteúdo de hoje, será possível ver mais sobre a importância que possuem, com foco nas atribuições no da economia e seu papel no geral.

Segundo dados da plataforma oficial do Governo, há subordinação direta ao presidenciável. Logo, se pode entender de forma mais clara o direito que cada um que ocupa essa posição tem de designar ou destituir os ministérios.

O que é o Ministério da Economia?

Certamente, o conhecimento da organização do governo contribui com que as pessoas possam ter uma base mais sólida para discussões, busca de direitos e a execução da cidadania no geral. Neste cenário, conforme os dados acima, os ministérios contam com um papel crucial para o auxílio do Presidente da República.

É normal que, em especial, hoje em dia exista dúvida a respeito do nome do Ministério da Economia ou de parte das atribuições em meio às mudanças. No entanto, de um modo geral, é um dos órgãos de maior importância no auxílio do presidenciável. Afinal, atende atribuições que abrangem desde contas federais até recursos financeiros de municípios e estados.

Sem dúvidas, várias questões envolvem este meio e, entre elas, se pode citar o orçamento que vai para cada setor, os projetos que receberão investimentos, cortes de gastos e muito mais.

Sendo assim, ao falar de planejamento orçamentário de finanças públicas, assim como o do Estado, o principal responsável pelas atribuições é este ministério. Há muito tempo conta com tarefas cruciais para a economia e política do país, porém, ao se tratar do nome em si, é mais recente.

Hoje em dia, o Ministério da Economia está na gestão do ministro Paulo Guedes e embora em 2019 mudanças tenham ocorrido nas pastas com a formação de um superministério, em julho de 2021, se falou no desmembramento. Para entender de forma ainda mais clara, veja os tópicos a seguir.

A estrutura do Ministério da Economia

ministério da economia
Fonte: Foto Divulgação- Marcos Corrêa- PR Site CNN Brasil

Ao falar da estrutura e, como consequência, das atribuições do Ministério da Economia, vale citar que, afazeres foram dados a partir da fusão de pastas que já existiam. Isso ocorreu em 2019, com uma ideia que recebeu o nome de superministérios.

De uma forma ainda mais direta, foi algo que visou as pastas que tinham similaridade entre os assuntos. O atual governo efetuou a transferência de responsabilidades de modo integral para novos ministérios. No entanto, em alguns casos os afazeres se dividiram entre os que já existiam. 

Desse modo, surgiram os superministérios e como consequência, a concentração de decisões. Aliás, um grande exemplo é justamente o da Economia. Sua fusão reuniu quatro pastas, o Ministério do Planejamento, da Fazenda, de Indústria e Comércio Exterior e o Ministério do Trabalho, sendo esse último de forma parcial.

Note que, ocorreu o acúmulo de muitos setores, em especial, em relação ao Ministério da Economia. O tema contou com uma grande discussão, em especial, sobre a eficácia da centralização a respeito de Paulo Guedes. Não é à toa que essa é a maior fusão. Em outras palavras, esse é o maior superministério e esse, o ministro que detém de um poder de destaque em toda a história da democracia.

Em julho deste ano, a reforma ministerial se tornou oficial pelo presidenciável, em cerca de um mês após seu anúncio. A seguir, você verá mais dados sobre as mudanças mais recentes.

Entenda mais sobre o desmembramento

A princípio, o anúncio do desmembramento do Ministério da Economia visou três pastas e redistribuição de funções com posições estratégicas no Governo. De acordo com o tópico anterior, a oficialização ocorreu em julho e nos meses seguintes, outros passos seguiram por este curso.

Inclusive, na metade do mês de dezembro de 2021 ocorreu a sanção da lei para recriar o Ministério do Trabalho e Previdência. Ocorreu a inserção de outros pontos na Medida Provisória 1058/21. Por exemplo, o texto contou com a criação do Domicílio Eletrônico Trabalhista. Foi algo proposto para ter uma comunicação diferente com os trabalhadores, com notificações em geral, como sobre as ações fiscais. 

Desse modo, o direcionamento de documentos em operações da administração também pode se tornar mais prático. Para isso, se visam recursos como os códigos de acesso e certificado digital. 

Soma-se com as mudanças a passagem dos conselhos, por exemplo, o Conselho Curador do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço, um dos principais benefícios dos trabalhadores, o FGTS. Há ainda, a autorização para atender a reestruturação, uma nova distribuição de cargos em comissão, mudanças em quantitativos, entre outros parâmetros.

Agora, você já sabe não apenas o que é o Ministério da Economia, mas no geral, como as estruturas dos ministérios contaram e ainda contam com mudanças no último governo. Vale dar ênfase ao fato de que dados como esses são cruciais para um entendimento claro do dia a dia. Isso envolve como os processos ocorrem, as atribuições de cada área, assim como alterações, que sem dúvidas, afetam a todos.