Anúncios

erros mais cometidos ao solicitar a aposentadoria
Fonte: Freepik

Sabemos que se aposentar nunca foi uma tarefa fácil e com a Reforma da Previdência o processo se tornou ainda mais difícil.

É fato que o INSS precisa repassar as informações corretas e mais vantajosas para solicitação do benefício. No entanto, isso nem sempre acontece na prática.

Por isso, antes de solicitar a sua aposentadoria é importante que você preste atenção em alguns detalhes, que serão fundamentais para a análise de seu pedido. Aliás é justamente a banalização de um detalhe que pode levar o seu requerimento a ser negado.

Assim, no post de hoje trouxemos os 5 erros mais cometidos no momento de solicitar a aposentadoria. Então, pegue papel e caneta, anote e todas para não cometê-los antes de dar entrada em seu pedido junto ao INSS.

1. Não fazer a conferência do CNIS

O CNIS consiste no Cadastro Nacional de Informações Sociais e é justamente a partir deste cadastro que o INSS fará toda a análise do seu histórico laboral. Em outras palavras, o CNIS nada mais é do que o histórico de contribuição de toda a vida do segurado.

E um dos maiores erros cometidos no momento de solicitar a aposentadoria é a não conferência de suas contribuições registradas. Portanto, antes de dar andamento em sua solicitação, confira se lá constam todos os seus vínculos trabalhistas ou ainda se existem algumas pendências no CNIS.

Afinal, se existirem pendências, então você deverá apresentar documentações relacionadas a cada uma delas. Além disso, se algum vínculo estiver em falta, em caso de não apresentação de documentos, o mesmo não será computado na análise.

Outro ponto importante, além de verificar os vínculos trabalhistas e seus respectivos tempos estão corretos, verifique também as remunerações. Afinal, todas as suas remunerações constantes no CNIS a partir de 1994 impactarão no cálculo de sua renda mensal inicial.

2. Acreditar que só existe uma modalidade de aposentadoria

A verdade é que existem diversas modalidades de aposentadoria no INSS e não somente a aposentadoria por idade. Dentre elas: a aposentadoria por invalidez; por tempo de contribuição; do trabalhador rural; especial; da pessoa com deficiência.

Com as diversas categorias de aposentadorias, pode ser que você se enquadre em alguma delas, a depender da modalidade que você contribui no INSS. Portanto, é essencial que você pesquise cada uma delas para ver em qual tipo está enquadrado, podendo fazer assim a solicitação correta.

Isso porque, se você fizer o pedido da aposentadoria por tempo de contribuição, por exemplo, mas se enquadrar na aposentadoria por idade, certamente o seu pedido será negado. Afinal, são modalidades diferentes com requisitos diferentes.

3. Achar que uma maior contribuição, meses antes do pedido, pode gerar um benefício maior

Embora seja comum que os segurados acreditem que as contribuições próximas ao momento da aposentadoria impactarão no benefício, isso não é verdade!

Não se engane, as regras do cálculo do benefício da aposentadoria variam a todo momento. Sem contar que depois da Reforma da Previdência as regras mudaram totalmente.

Sendo assim, é importante que você se informe em qual regra você se enquadra para não cometer o erro crasso de pagar um valor a mais para o INSS, que não será convertido em um benefício maior.

4. Não fazer a contagem do tempo de contribuição no INSS

A contagem do tempo de contribuição é essencial para que você consiga o benefício que é seu por direito. Isso porque, após a Reforma da Previdência, cada tempo a mais de contribuição impacta em sua renda mensal inicial.

Nesse sentido, a simulação é importante, porque te permitirá verificar se falta algum período de trabalho que consta em carteira, mas não está no INSS. Neste caso, será necessário apresentar a CLT para que o INSS faça a devida contagem deste tempo de contribuição.

5. Não verificar a documentação antes do pedido de solicitação

erros mais cometidos ao solicitar a aposentadoria
Fonte: Freepik

E para fechar os 5 erros mais cometidos no momento de solicitar a aposentadoria, não poderíamos deixar de falar da documentação.

A falta da documentação correta pode impactar diretamente na concessão ou negativa de seu pedido do benefício. Portanto, antes de pensar na hipótese de dar entrada na solicitação, faça o mapeamento de todos os documentos que precisarão ser apresentados.

Sendo assim, verifique se seu RG está íntegro, se seu CPF está regular e se não constam pendências em sua carteira de trabalho. Aliás, devemos lembrar que em casos de perda da carteira de trabalho é necessário apresentar documentos comprobatórios que possam substituí-la.

Gostou do post? Então navegue pelas nossas categorias aqui do site e confira conteúdos exclusivos sobre o universo dos benefícios sociais.