Anúncios

Anúncios

proteger de um boleto falso
Fonte: freepik

O conhecimento é fundamental na relação com questões financeiras, o que abrange também a segurança das pessoas. É muito provável que você já tenha escutado sobre golpes e saber como reconhecê-los e se defender, é indispensável. Por exemplo, você tem ideia de como se proteger de um boleto falso? 

Anúncios

Nesse cenário, é de grande importância observar que os golpes financeiros seguem com um aumento notável. Um dos diversos dados que indicam a situação do cenário tem relação com o levantamento feito pelo laboratório de cibersegurança da empresa Psafe, em que apenas no país, detectou-se o registro de mais de 1,6 milhões de ações maliciosas.

No decorrer do conteúdo os principais parâmetros desse golpe comum serão citados. Então, não esqueça de se ater às formas de identificação e proteção para evitar grandes prejuízos.

Quais são os passos principais para se proteger de um boleto falso?

É muito provável que você já tenha percebido que o boleto bancário é uma das principais formas de pagamento em diversas ocasiões. Aliás, há pessoas que preferem o boleto, principalmente quando desejam evitar o uso de cartões de crédito.

De qualquer maneira, sendo um dos vários focos de golpes financeiros, é preciso ter em mente como se proteger de um boleto falso. Quer seja essa uma opção comum no seu dia a dia ou não. Só em 2019, o número de fraudes visando esse recurso aumentaram em 55% em comparação com 2018. 

Nesse cenário, alguns pontos cruciais para se proteger são identificar golpes comuns e determinadas características dos boletos.

Por que saber como se proteger de um boleto falso? Veja exemplos de golpes

proteger de um boleto falso
Fonte: freepik

Além de ter conhecimento sobre os casos e de que, essa é uma opção comum de pagamento, o que reforça a necessidade de identificar meios de proteção é o fato dessa forma de golpe poder ser aplicada de diferentes maneiras, com prejuízos financeiros e emocionais, em especial, por causa da frustração, que variam.

Um tipo muito comum é a instalação de um vírus na máquina da vítima, que viabiliza a alteração de dados de boletos emitidos. Desse modo, o valor pago tem como direcionamento a conta dos criminosos.

Por outro lado, existem outros esquemas ainda mais robustos que envolvem boletos. O golpe chamado phishing é executado por métodos diversos, sendo uma muito comum o envio de e-mails semelhantes aos de lojas, no qual as vítimas podem facilmente serem enganadas para passar informações pessoais e efetuar uma compra com o pagamento em boleto.

Dicas que se destacam para sua segurança

Em primeiro lugar, vale ter atenção ao código de barras. Note que, em boletos verdadeiros, as numerações inferiores e superiores são sempre iguais. Além disso, os três primeiros caracteres condizem com o código do banco emissor. Logo, se o banco for distinto daquele que consta no boleto, é preciso redobrar a atenção.

Outras informações também merecem grande atenção, como a quantia e as informações do beneficiário. No primeiro caso, vale conferir se o valor condiz com o da operação e se é igual nos dois locais do documento em que deve aparecer. Além disso, veja sempre se o CNPJ do emissor é o mesmo da empresa da qual está fazendo o pagamento. 

Em caso de dúvidas, vale sempre pesquisar, sendo essa uma informação que comumente pode ser encontrada com facilidade nas plataformas das empresas. Por outro lado, não deixe de conferir também qual é o nome do beneficiário e a data de vencimento do documento.

Veja quais são outros golpes comuns

Agora que você já sabe como se proteger de boleto falso, vale dar ênfase em outros golpes financeiros que são muito comuns. Segundo Walter de Faria, um dos diretores da Febraban (Federação Brasileira de Bancos), um dos golpes mais recorrentes foi o do funcionário falso.

Basicamente, nesse caso a vítima recebe o contato do golpista, que se passa por um funcionário da instituição financeira. A ideia é obter informações pessoais ao máximo para a realização de crimes. Para isso, é muito comum que sejam apontadas irregularidades na conta e/ou cartão.

Soma-se a esse cenário outro golpe muito comum, que também envolve falsos funcionários. No entanto, neste caso, além de apontar irregularidades no cartão de crédito, a necessidade de troca do cartão também é expressa pelo golpista, que indica que o cliente deve cortar o cartão e entregá-lo a um motoboy. 

Com um corte que deixa o chip intacto, os criminosos ainda podem utilizar o recurso de crédito do cliente, que acaba sofrendo grandes prejuízos. Por isso, é importante reforçar que instituições financeiras não enviam profissionais para a retirada do cartão e não pedem informações sigilosas pelo telefone.

Se pode observar com as informações apresentadas no decorrer do texto que, não apenas no caso do boleto falso, como com os outros golpes, que ter muita atenção em cada transação financeira é crucial.

Por isso, apesar de golpes cada vez mais avançados, se deve considerar que os recursos de segurança também progridem dia após dia. Certamente, usá-los a favor de se proteger de um boleto falso e demais situações, deve ser uma grande prioridade. Afinal, conforme informações anteriores, os prejuízos podem ser diversos e impactantes. 

Você já sabia desses aspectos ou conhece outras formas de se proteger? Para que mais pessoas consigam ter uma segurança maior, não deixe de compartilhar o conteúdo.