Anúncios

como fazer um orçamento doméstico
Fonte: Freepik

A princípio, o planejamento financeiro de casa pode soar complexo de ser feito, especialmente ao considerar as variáveis que o envolvem, como contas de consumo básicas e faturas. No entanto, com algumas dicas é possível saber como fazer um orçamento doméstico com maior praticidade e obter mais controle no dia a dia.

Já parou para pensar na importância do orçamento de casa? É algo que pode até mesmo viabilizar o alcance de diferentes objetivos. Sendo assim, permite um planejamento mais seguro, assim como um controle mais eficaz no geral. A seguir, veja como fazer o seu orçamento financeiro de casa.

Saiba como fazer um orçamento doméstico

Apesar das particularidades que as pessoas apresentam, com os recursos certos, a organização pode fazer toda a diferença. E, para quem se interessa por como fazer um orçamento doméstico, é importante adaptar as ações e demais dicas de acordo com as necessidades e preferências de cada um.

Existem alguns pontos que não podem ser deixados de lado ao se tratar desse assunto. Por exemplo, o que o orçamento doméstico abrange, de fato, as despesas totais, ou seja, desde materiais para a escola até aluguel e grandes gastos domésticos. Além disso, deve contar com a renda total, isto é, com os rendimentos de todos do local. Há ainda outros que são cruciais, confira a seguir.

Reúna todos os gastos

Certamente, um dos primeiros passos para quem quer saber como fazer um orçamento doméstico é reunir todas as informações a respeito das despesas. É algo que pode parecer difícil por causa da variedade, mas uma vez que esse passo é bem feito, os outros são viabilizados com grande praticidade, assim como o controle do orçamento. 

Em meio às despesas, é possível se deparar com as seguintes:

  • Supermercado;
  • Contas de consumo básicas (ex. gás, luz e água);
  • Gasolina e/ou gastos com transporte público;
  • Educação;
  • Assinaturas de streaming, internet e outros serviços recorrentes.

É importante ser detalhista nesse momento, principalmente ao considerar que é uma maneira de identificar o destino de sua renda.

Identifique um bom recurso para reunir e controlar as informações

Além da necessidade de reunir todos os dados, o que pode contribuir de uma forma significativa para estruturação do orçamento doméstico é a classificação dos dados. No entanto, vale considerar que esses dados precisam de uma visão clara, assim como organização, chance de alteração e de adição quando for preciso.

Por isso, é essencial preocupar-se com o encontro do melhor recurso para reunir os dados. Em meio as opções, estão aplicativos específicos de finanças e planilhas. Tudo depende da preferência de cada um e da facilidade que todos terão para usar depois. Afinal, vai muito além de uma simples lista de despesas.

Desse modo, os recursos digitais podem contar com uma praticidade relativamente maior em relação à dinâmica das informações. Independente da opção, vale a pena categorizar todos os ganhos e gastos. Aliás, nada impede de mesclar as opções, desde que o controle final esteja direcionado para um local e que todos da residência estejam envolvidos.

Tenha as dívidas como prioridades e faça objetivos

É importante saber quais são os seus objetivos financeiros e a partir do orçamento doméstico, será possível ter maior precisão no processo. O pagamento de dívidas como uma dessas metas é essencial, uma vez que o não pagamento acumulará em ainda mais juros e consequentemente, maiores valores para pagar.

Esses são passos importantes, que influenciam no controle do orçamento. Soma-se a esse cenário que outra meta interessante é a construção de uma reserva de emergência, essa quantia pode ser crucial em caso de imprevistos.

Cuidados para fazer um orçamento doméstico

como fazer um orçamento doméstico
Fonte: Freepik

Agora que você já tem maiores informações sobre como fazer um orçamento doméstico, é importante ter atenção em relação a alguns fatores que exigem uma cautela maior. Eles podem ser cruciais para potencializar as chances de obter bons resultados com o planejamento e de evitar dívidas, em especial, por causa de uma organização ruim.

Sendo assim, já vale citar que um erro frequente nesse tipo de orçamento é o esquecimento das compras parceladas. Por exemplo, uma aquisição em 4 vezes, deve constar nos respectivos 4 meses em que as parcelas serão pagas. 

O cuidado com esse ponto é interessante também para quem deseja ter uma relação ainda mais saudável com o cartão de crédito, por possibilitar compras mais conscientes por causa da visão mais clara do impacto ao longo dos meses no orçamento.

Outro erro comum é deixar o gerenciamento de lado. Uma vez que todo o orçamento doméstico foi estruturado, é de grande importância criar aos poucos o hábito de gerenciá-lo. Fazer isso apenas uma vez por mês pode ser complicado por causa das informações acumuladas.

Portanto, além de identificar as dicas que são mais vantajosas no tópico sobre como fazer um orçamento doméstico, vale a pena aplicar processos que podem ajudar em sua manutenção. Afinal, conforme apresentado no decorrer do texto, pode se tornar um grande aliado no dia a dia.