Anúncios

ceia de Natal
Fonte: Adobe Stock

O que estará mais caro na ceia de Natal este ano? Os valores exigem atenção dos consumidores, uma vez que, principalmente, o segundo semestre do ano foi marcado por elevações significativas. Segundo o IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo), a inflação oficial em novembro atingiu um recorde, sendo a maior em cinco anos.

Sendo assim, por mais que em 2020 as recomendações sejam de evitar aglomerações devido a pandemia do COVID-19, as ceias preparadas de modo mais restrito podem sair mais caras.

O que está mais caro na ceia de natal?

Quer ter mais clareza sobre os produtos e tranquilidade ao se preparar para esse final de ano? Descubra agora quais são os itens comuns na ceia de Natal e que estão com os preços elevados, saiba também quais são os motivos desse aumento.


Anúncios

  • Azeite;
  • Vinho;
  • Bacalhau;
  • Arroz;
  • Uva-passa;
  • Nozes;
  • Suínos;
  • Frangos.

O arroz é um dos elementos mais atingidos, sendo que, conforme o IPC (Índice de Preços do Consumidor), teve a elevação de mais de 62% acumulado nos últimos 12 meses. Em relação a alta de outros itens, como os que foram citados acima, por exemplo, o aumento de 10% do bacalhau, de 20,14% do lombo suíno e de 14,5% de frango inteiro.

Por que o preço aumentou?

Fatores como a alta do dólar e a inflação são apontados como os principais motivos para o aumento de preço. No caso do dólar, por exemplo, a elevação influencia de forma direta produtos associados com a demanda do exterior e o valor de ração dos animais. Isso porque, itens como o milho e a soja, também tiveram alta.

Nesse contexto, a demanda maior para exportação apresenta-se de forma vantajosa devido a alta do dólar e como consequência, há o aumento do produto nacionalmente. Desde outubro os números são significativos, com o patinho marcando 8,67% e a picanha 11,16%, já o acumulado do ano dos suínos 22,06%.


Anúncios

No caso do arroz e demais itens, os motivos em geral são semelhantes, em que ocorre também a influência do aumento da demanda em relação ao mercado nacional e internacional devido a desvalorização da moeda nacional diante ao dólar e às exportações favorecidas.

Naturalmente, cada fator tem um peso diferente ao considerar as diversas cadeias de produção e particularidades do mercado. Por exemplo, no caso do frango, deve-se considerar também o aumento da demanda por causa da concorrência da proteína no mercado, o que envolve também setores bovinos e suínos.

Confira dicas para lidar com a inflação na ceia de Natal

ceia de Natal
Fonte: Adobe Stock

Embora muitas pessoas já tenham hábitos nessa época, direcionados para pratos, marcas e outros costumes, para driblar o que está mais caro na ceia de natal há possibilidade de adotar algumas dicas. Confira a seguir:


Anúncios

Dica 1

Conforme citado, muitas pessoas já possuem tradições associadas com essa época, porém, em meio a esse cenário, inovar nos pratos visando itens mais baratos pode ser prazeroso e de grande ajuda para quem precisa economizar.

Fazer algumas substituições também é uma grande dica. Por exemplo, o frango pode ser preparado no lugar de um peru. Já o arroz branco, um item com uma alta significativa, pode ser preparado com vegetais ou outros elementos de sua preferência para render mais.

As alternativas são variadas para lidar com essa situação e para quem deseja encomendar um prato diferente, uma dica para ter maior praticidade e prestar suporte para economia local, é procurar serviços próximos.


Anúncios

Dica 2

Realize as compras com antecedência, pois dessa forma as chances de controlar os gastos serão maiores. Afinal, com tranquilidade e uma lista, é mais fácil pesquisar os preços e opções de ingredientes.

Por exemplo, ao chegar ao supermercado com calma, é possível analisar os panfletos atentamente, as prateleiras ou até comparar as promoções e demais fatores entre os mercados.

Além disso, ao deixar para última hora, há risco de não achar produtos “em conta” e mais opções, o que consequentemente afeta suas economias, planos de gastar menos e o cardápio.


Anúncios

Dica 3

O que acha de redirecionar os custos? Ao fazer as compras, além da preocupação em pesquisar com cautela os preços e efetuar comparações, pode ser significativo fazer algumas trocas em relação às marcas, optando por itens mais baratos.

Outra forma de otimizar os custos, é evitar que você fique responsável por tudo, ou seja, que os gastos sejam centralizados. Essa é uma dica interessante principalmente para as pessoas que possuem convidados, pois neste caso, os custos podem ser divididos, por exemplo, com cada um se responsabilizando por levar um prato para a ceia.

Uma outra ideia que pode ser seguida por quem deseja redirecionar os custos e possui convidados, é dividir os custos totais das compras ou a separação de itens da lista, em que cada um assume determinada responsabilidade.


Anúncios

Dica 4

De certa forma, essa dica está associada com a segunda, pois para ir com antecedência ao mercado em muitos casos requer planejamento. Embora essa dica não esteja diretamente ligada com o uso do dinheiro, um bom planejamento é capaz de evitar erros frustrantes que levam aos gastos desnecessários.

Algumas dicas para se planejar é saber quantas pessoas estarão na ocasião e estabelecer um orçamento, quanto mais cedo o planejamento for iniciado, maiores serão as chances de pesquisar com cuidado e estruturar uma lista de compras com base em um orçamento seguro.

Dica 5

Lembre-se de não desperdiçar, o que deve ser considerado tanto na compra quanto no preparo e na hora da refeição. É uma forma de economizar e preparar a ceia de forma suficiente para todos.


Anúncios

Uma forma de fazer isso é lembrar das últimas ceias para definir os pratos que, de fato, foram realmente aproveitados. Dessa forma, mesmo que tenha alguns itens que estejam dentro da lista do que está mais caro na ceia de Natal, o custo-benefício será potencializado. Basta seguir as dicas e se planejar adequadamente.

Anúncios